Solidariedade, voluntariado e iniciativa: quando a ajuda não cai do céu

Sabe quando você percebe que tá tudo errado? Tem gente passando fome, tem gente que não sabe a importância do voto, tem gente que não tem oportunidade de estudar, tem gente que não liga pro meio-ambiente, tem gente que não tem outra possibilidade de vida que não o tráfico… E que os representantes da sociedade não fazem NADA pra mudar isso? Esperar é a pior forma de conseguir alguma coisa. Se quer que algo seja feito, tome a iniciativa.

“Ninguém é tão sábio que não tenha nada a aprender e ninguém é tão tolo que não tenha nada a ensinar”

 

TOME A INICIATIVA

Imagem

Não basta se indignar e postar discursos bonitos no facebook e no twitter dizendo que o mundo tá todo errado, que as pessoas passam fome, que não sabem votar, que o governo não faz nada e que a educação tá um lixo. Se você tem algo a ensinar, passe pra frente. Saber o que quer já é uma ótima iniciativa e pode ajudar a conseguir adeptos: outros podem ter a mesma ideia que você e estavam esperando motivação!

FAÇA ACONTECER E PROCURE QUEM PODE AJUDAR

Imagem

Esperar que o governo te apoie é uma bobagem. Isso não quer dizer que não deva tentar, mas sim que não deve limitar-se a ele: é sempre o primeiro trunfo, visto ser obrigação deles, mas tenha sempre um Plano B, porque é como esperar que caia do céu e pode ser muito demorado. Procure apoio nas ONG’s ou nos próprios moradores da sua comunidade: são pessoas que ajudam por gosto, porque sabem que aquilo é necessário. Você vai se surpreender! Às vezes, o que falta é apenas aquele puxãozinho…

FAZENDO AQUILO QUE VOCÊ GOSTA

Imagem

Não sabe em quê você poderia ajudar? Vejamos! Se você está formando na faculdade, pode ajudar com os conhecimentos que tem, por exemplo: biólogos poderiam desenvolver ações de conscientização sobre o meio-ambiente, usar espaços (mesmo que improvisados) para ensinar as crianças a fazerem experiências (tipo aquelas feiras de ciências), desenvolver, com a comunidade, uma horta em algum terreno baldio que estava sendo desperdiçado como depósito de lixo; historiadores podem promover um tipo de “palestra”, ensinando questões sóciopolíticas através de acontecimentos registrados. Você também pode fazer recolha de alimentos, roupas, agasalhos, cobertores, sapatos, coisas que uns tem demais e aos outros faltam. E isso não depende de faculdade! É mais, aliás, do seu interesse e do público com quem você melhor se relaciona.

DINHEIRO E ESPAÇO

Imagem

Como já disse antes, tente sempre a ajuda de órgãos públicos governamentais primeiro, mas não conte só com eles. Você não precisa abrir uma escola ou uma associação para promover solidariedade, nem precisa de muito dinheiro: pode contar com a ajuda de outras pessoas, moradores e amigos, gente da faculdade, pedir apoio de empresa privada, de ONG’s. O lugar pode ser algo muito simples na própria comunidade: uma praça, um campo de futebol, uma escola que possa ceder uma sala ou um espaço aberto. Esse tipo de coisa que se consegue conversando, sem despesas e com um papel A4. Por exemplo, supomos que você quer promover “palestras” para discutir temas importantes, para despertar senso crítico e responsabilidade social na comunidade: você pode fazer um requerimento à Associação de Transportes Urbanos e para a Prefeitura da cidade para fechar uma determinada rua nas datas X, Y e Z para que as palestras aconteçam. Pode pedir, também, ajuda à Associação de Moradores do Bairro, se o seu tiver um; na maioria das vezes, eles têm uma sede e talvez possam cedê-la ou ajudá-lo com o evento pretendido.

VOLUNTARIADO

Imagem

Desapegue do materialismo: você está fazendo isso para ajudar os outros, não para se beneficiar financeiramente. O projeto social deve ser apartidário, conscientizador, solidário e voluntário, só assim conseguirá atingir suas metas. Para ganhar dinheiro em cima do sofrimento alheio já tem muita gente!

TEMPO

Imagem

Todo mundo sabe que você também tem que sobreviver: trabalhar e ganhar grana pra sustentar as próprias necessidades ou vai precisar de um projeto social também hehe! O projeto não precisa ser exclusividade na sua vida, dedicando todo o seu tempo a ele, mas dedique o que puder! Para distribuição de funções, conte sempre com outras pessoas que também posam te ajudar, sozinho é que vai ser difícil fazer as coisas. Uma andorinha só não faz verão!

Se interessou? Confira os links:

Seja um Voluntário – http://www.voluntarios.com.br/

Como criar uma ONG – http://www.filantropia.org/comocriar_ong.htm

Por que projetos sociais? – http://pt.scribd.com/doc/96011/Por-que-projetos-sociais

 Vídeo interessante

Bunker Roy: Aprendendo com o Movimento Pés Descalços

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s